Anamnese de Aromaterapia – Método de Entrevista

Como fazer anamnese de aromaterapia? Existe um padrão de ficha de anamnese para aromaterapeutas?

Um modelo único de questionário que deve ser seguido nas consultas? Eu já adianto que não, mas eu tenho um método que vou compartilhar com você aqui.

 

Anamnese é uma entrevista que o aromaterapeuta faz no início da consulta para entender como ajudar a pessoa que está lá se consultando com ele.

O termo “Anamnese” vem do grego (Aná = trazer de novo e Mnesis = memória).

Significa trazer de volta à memória os fatos relacionados ao interagente e a questão que ele deseja tratar.

Então é uma entrevista profunda, que deve ser feita com tempo e atenção.

Toda consulta de aromaterapia deve começar com uma anamnese. É neste momento que você vai entender as queixas dele para então poder desenvolver um protocolo individualizado com os melhores óleos essenciais para aquela pessoa.

E como eu já adiantei, não existe um modelo de questionário a ser seguido pelos aromaterapeutas.

Um modelo fechado de perguntas e respostas só deixarim o interagente tenso e dificultaria o nosso trabalho de compreensão do todo.

Apesar disso, podemos seguir um roteiro como guia, para lembrar de fazer as perguntas mais importantes.

Eu sigo para isto um método que eu criei e chamo de Q2RCN

Vamos ver o que significa cada letra:

Q, de queixa principal. Neste momento eu faço uma pergunta aberta. Por exemplo: O que te fez procurar uma consulta de aromaterapia? ou Em que posso te ajudar nesta consulta e assim por diante.

Às vezes a pessoa vai chegar com 10 questões que ela quer trabalhar. Peça para ela escolher a mais importante e vamos abordando uma questão de cada vez para não se perder. Neste momento, apenas escutamos e anotamos algumas informações importantes.

Depois vem o primeiro R, que é de Raiz. Se a pessoa vem com um sintoma, nós vamos investigar a raiz do problema. Ajudar a pessoa a trazer à memória o que está causando o sintoma relatado.

O segundo R é de Rotina. Aqui é importante entender o que a pessoa faz normalmente da hora que acorda até a hora de dormir. Como trabalha, como se alimenta, que horas dorme e acorda…

É importante conhecer a rotina da pessoa por dois motivos:

O primeiro é entender se o problema relatado está relacionado a algum hábito ou modo de vida da pessoa.
Por exemplo: ela tem insônia e tem costume de assistir TV até tarde, dorme com o celular na mão, acorda tarde, não se exercita durante o dia, janta próximo a hora de dormir… Não tem lavanda que vai ajudar se ela
não melhorar alguns hábitos da vida dela.

O segundo motivo é que entendendo a rotina da pessoa você vai conseguir ajudá-la melhor a incorporar os óleos essenciais na rotina. Se é uma pessoa muito ocupada, não vai adiantar você falar para ela parar 3 ou 4 vezes por dia para fazer inalações. Conhecendo a rotina, você vai ajudá-la a aderir à aromaterapia de forma mais fácil.

Depois vem o C, de Contra-indicações. Neste momento, você precisa entender se tem algum óleo essencial contra-indicado para ela. Alguns óleos essenciais interferem com medicamentos, então você precisa perguntar se ela toma algum remédio atualmente. Neste momento também perguntamos se ela tem alguma alergia conhecida, se tem pressão alta ou baixa, se tem chances de estar grávida,
se tem ou teve câncer, se tem casos de câncer na família e assim por diante.

E por último, mas não menos importante, temos o N, de nariz. Agora vamos entender quais óleos essenciais agradam ou desagradam a pessoa.

Se a consulta for presencial, você pode apresentar alguns óleos essenciais para ela inalar na hora e ver quais
agradam ou desagradam o olfato dela. Se ela não gosta de algum óleo essencial, procure um que ela goste no lugar. A aromaterapia deve ser um momento agradável no dia dela, uma terapia amorosa e não uma tortura para a pessoa.

Se a consulta for online, você pode perguntar se ela gosta de aroma cítrico, floral, amadeirado, herbal ou se ela conhecer os óleos essenciais, se tem algum que ela gosta ou não gosta.

Então o Q2RCN é um guia para te ajudar a fazer uma boa anamnese, mas você pode acrescentar outras letras conforme vai tendo suas próprias experiências. Aliás, se você tiver algum outro tópico que acha importante abordar na anamnese comente aqui abaixo para eu conhecer e talvez testar nas minhas consultas também.

Vou deixar uma modelo de anamnese com algumas questões seguindo esse roteiro na plataforma para os alunos do meu curso Aromaterapia 360, para ajudar nas primeiras consultas. Se você não é meu aluno ainda, conheça o curso no link aqui abaixo e também baixe o ebook gratuito.

Gratidão e até mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *